NOTÍCIAS


Incêndio em imóvel de delator levou a proibição de menção a nomes

Um incêndio na casa da família de um dos colaboradores premiados na Operação Mensageiro, chamou a atenção da equipe que investiga o escândalo do lixo em Santa Catarina, e levou à determinação de proteção policial aos familiares. A informação foi revelada pela Jornalista  Dagmara Spautz.

Os detalhes do suposto atentado, como data e local, são mantidos em sigilo. Mas o fato é de conhecimento das defesas e um dos motivos para que a operação siga em segredo de Justiça, conforme apurou a jornalista.

Por esse motivo, o vazamento da identidade de alguns dos supostos colaboradores causou desconforto na investigação. Houve receio de que delatores desistissem da troca de informações com os investigadores.

A desembargadora Cinthia Bittencourt Schaeffer proibiu em despacho na última sexta-feira, 24, a divulgação dos nomes e da identificação dos delatores da Operação Mensageiro, que investiga supostas fraudes em contratos de coleta de lixo em municípios catarinenses e já levou sete prefeitos à prisão preventiva. Até o momento se tem notícias de pelo menos cinco delatores.

No despacho, a desembargadora reforça a importância da liberdade da imprensa e assegura a cobertura da operação: “A liberdade de imprensa é um direito salutar em um ambiente democrático”.

A decisão se restringe à identificação dos delatores. Cabe recurso da decisão.

Fonte: JMais




28/02/2023 – Super FM

COMPARTILHE

SEGUE A @SUPERFM89.1

(47) 3653-1883

comercial@superfm89.com.br
Papanduva – SC

NO AR:
VITROLÃO